quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2010 Melhor para o Património Histórico da Cidade!


O Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades deseja àqueles que partilham da mesma preocupação com o património histórico, edificado e ambiental, um 2010 repleto de boas novidades, em torno da salvaguarda dos bens da Comunidade, como a Tapada das Necessidades, para que todos possamos usufruir de pulmões verdes repletos de História e Identidade, que conferem à cidade uma beleza e um encanto singulares, tornando-a um lugar melhor para viver.
Saúde plena, muitos sonhos concretizados e nunca deixem de gostar de gostar!
A Tapada das Necessidades merece o apoio dos lisboetas!
Cidadãos, Ambientalistas, Autarcas - A luta é colectiva e a Cidade terá Futuro, se houver empenho de todos.
LFM (texto e foto)

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Orçamento Participativo*



A Tapada das Necessidades estava contemplada no Orçamento Participativo, cuja votação se fazia pela Internet e era suposto terminar no passado dia 20.

Ao que parece e pela mensagem que o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa difundiu dia 18, o processo vai voltar ao ponto zero, no que respeita à opinião popular, ou seja, vamos ter de voltar a votar.

Aqui fica a notícia:



Anulação da 2ª Fase do Orçamento Participativo

A Câmara Municipal de Lisboa foi alertada por cidadãos participantes na 1ª fase do Orçamento Participativo (OP) para a existência de propostas apresentadas nesta fase que não surgiram na lista de projectos colocados à votação.

Analisadas as situações identificadas, foi detectada uma avaliação inadequada por parte dos serviços da CML relativamente a algumas propostas apresentadas, que teriam condições para virem a ser transformadas em projectos e colocadas à votação.

Face a esta situação a CML decidiu anular, hoje, dia 18 de Dezembro, a 2ª fase do OP. O objectivo é colocar novamente à votação dos cidadãos de Lisboa a lista de todas as propostas apresentadas que cumpram os critérios previamente definidos.

Assim, a 2ª Fase do OP (votação de projectos) voltará a estar operacional no período entre 30/12/2009 a 15/01/2010.

*Notícia comentada e recolhida por LFM

sábado, 24 de outubro de 2009

A Tapada na Ilustração Portuguesa








Recebemos mais um importante contributo para o estudo da nossa Tapada das Necessidades, enviado pelo amigo João Pinto Soares, que com satisfação divulgamos:

"Porque julgo interessante, junto envio para publicação o presente artigo, recolhido do Jornal Ilustração Portuguesa, Nº. 293 de 2 de Outubro de 1911.
De salientar e lamentar:
- O desaparecimento irreversível do Picadeiro Real;
- A deslocalização do busto de D. João V, penso que para o Convento de Mafra, mas que deverá regressar ao seu lugar do origem, talvez quando o Jardim do Buxo voltar a estar aberto ao público.

Pinto Soares"


Para melhor poderem fruir este artigo, nas suas sete páginas, deverão os leitores clicarem em cima de cada página, e depois, se o entenderem, comentar. O texto é interessante, pelo imaginário que transporta, uma lenda negativa que perseguiu os últimos monarcas.

Obrigado ao nosso amigo João e a todos os que se solidarizam com a causa da salvaguarda deste espaço histórico.


Texto introdutório e digitalização: João Pinto Soares; Comentário e coordenação do blogue: LFM


domingo, 18 de outubro de 2009

Incógnita e Empenho


Eleitos os Vereadores do novo Executivo da Câmara Municipal de Lisboa, importa saber o que vão fazer para melhorar a Tapada das Necessidades.
O GATN continuará empenhado na salvaguarda daquele espaço maravilhoso, que precisa constantemente da dedicação e interesse da população de Prazeres e de Lisboa.
LFM (texto e foto)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A Tapada na Campanha Eleitoral


Graças ao empenho do Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades, foi possível sensibilizar alguns cidadãos, com responsabilidade política, que na Câmara Municipal de Lisboa (caso da proposta votada por unanimidade, da autoria da CDU, no sentido da salvaguarda da Tapada das Necessidades) e na Junta e Assembleia de Freguesia dos Prazeres concertaram esforços em parceria com o GATN, evidenciando, através de Caminhadas e tomadas de posição mediatizadas, a urgência de decisões. Finalmente, CML e Ministério da Agricultura assinaram o protocolo em vigor há cerca de um ano, que permite à população usufruir da Tapada e promete obras de recuperação dos caminhos e do património vegetal e construído, nem sempre bem consumados como já sabemos.
Vejamos agora o que dizem os principais partidos (com base na propaganda que distribuíram porta a porta:

No elenco de prioridades da campanha do PSD, em coligação com o CDS, MPT e PPM, a Tapada aparece um pouco diluída, na panóplia de preocupações sintetizadas. Diz-se nesse panfleto: "Proteger o Património: Dispensário, Tapada, Geomonumentos...evitando a sua destruição ou descaracterização." Proteger é o verbo utilizado para falar do tema Tapada...

A campanha do PS refere apenas que fizeram a "Transferência da Tapada das Necessidades para Património Municipal", ficando-se por uma vaga intenção "Será dada especial atenção à recuperação de todos os Espaços Verdes da Freguesia". Ou seja, como se o facto da Tapada ter gestão camarária (que não tem funcionado) fosse o suficiente... E não há verbo de compromisso...

O Bloco de Esquerda promete várias iniciativas em torno da Tapada, nomeadamente colocá-la como centro privilegiado de lazer da Freguesia, idealizando a realização de eventos regulares nesse espaço, que destaca em sete linhas esquemáticas, onde se salienta o aproveitamento das antigas instalações do Jardim Zoológico para ATL's sobre a natureza.

A CDU (PCP, Verdes e Independentes), sob o título Tapada para a população, dedica 10 linhas do seu programa a este assunto. E utiliza os verbos continuar a lutar (quando se refere à manutenção do que se conseguiu) e continuar a apoiar (quando fala das iniciativas da população). É importante invocar a necessidade de valorizar o espaço.

Porque efectivamente, ainda há muito para salvaguardar e valorizar, não sendo a sua obtenção algo que o Poder conceda de mão beijada à populaça.

Veja-se o recente exemplo da intenção de construir um mamarracho, oferecido de bandeja num território que é património histórico, à Misericórdia (pobre entidade que não possui imóveis em Lisboa que pudessem consumar a intenção de instituir uma nova creche)...

Concluíndo: As coligações e partidos concorrentes às eleições autárquicas de 11 de Outubro, de forma sintética ou desenvolvida, inserem a Tapada nas suas preocupações, o que vem dar razão à luta consequente que o GATN trava desde Abril de 2007.

LFM (texto e foto)

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

NOTÍCIAS DA TAPADA

Amigos, só para informar que o elemento escultórico que referi no ponto 3 do noticiário anterior e representado na foto que junto, já se encontra a salvo na portaria da Tapada das Necessidades.

Abraço

Pinto Soares

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

NOTÍCIAS DA TAPADA



Amigos, respondendo ao alerta do Amigo Carlos Bolacha acerca das malfeitorias que eventualmente poderiam ter sido feitas sobre os medronheiros existentes junto à Casa do Regalo, visitei hoje, dia 30 de Setembro de 2009, a Tapada das Necessidades e constatei o seguinte:


1 – Existe do lado de fora do muro da Tapada, um placard informando o começo da obra do arranjo dos caminhos para o mês de Setembro. Sendo esta uma obra por todos esperada e na ausência de mais explicações, pergunto se ela não será acompanhada por uma outra igualmente importante que é o fornecimento de água para rega e outros fins e o escoamento da água das chuvas. É que, se pode correr o risco de ter que refazer aquilo que entretanto foi feito. Julgo que o GATN deveria questionar o Sr. Vereador dos Espaços Verdes sobre este assunto.


2 – A Araucária plantada no dia da árvore continua a lutar pela vida,tendo conseguido ultrapassar a época do ano mais difícil, a de maior calor.


3 – Encontrei um elemento escultórico de relativa pequena dimensão, junto ao muro Norte do Jardim do Buxo. Penso que deveria ser recolhido e guardado em lugar seguro até ser recolocado no local de origem. Penso também que o GATN, juntamente com a Junta de Freguesia e a CML, deveria nomear um Curador, responsável pela Tapada a quem competiria resolver, entre outros,estes casos.


4 – Continuam a circular automóveis, entre a Casa do Regalo e o parque de estacionamento do Instituto de Defesa Nacional, cujo portão está permanentemente aberto.


5- Finalmente, no que diz respeito aos medronheiros, acontece que todos os espaços verdes e canteiros da Tapada têm vindo a estar sujeitos a um processo drástico do limpeza e poda, em alguns casos excessiva, na minha opinião, se bem que algum coberto vegetal estivesse muito envelhecido.


Esperemos que a seguir a esta fase se proceda à plantação de espécies novas. Embora não tenha uma ideia muito precisa do número e localização inicial dos medronheiros, pude constatar que ainda lá estão, nomeadamente aqueles de maior porte,junto ao muro de contenção, que define o caminho, tendo alguns sofrido podas. Penso que a Amiga Fátima Sá seria a pessoa mais indicada para fazer o ponto da situação, uma vez que conhece melhor e há mais tempo o local em apreço.


Abraço

Pinto Soares


sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Notícias da Tapada


Alguns Amigos atentos fizeram-nos chegar notícias sobre o mesmo assunto: uns placards que anunciam a renovação (que não se viu, ao longo de um ano de promessas).
E diz um dos correspondentes do nosso blogue:

junto envio fotos com o placard que está na porta sul da tapada, propaganda? parece já que na tapada tudo está quase na mesma, apenas se vê o trabalho dos jardineiros da Câmara que lá andavam a regar e limpar, são mesmo da Câmara.
Relativamente aos caminhos estão todos na mesma, talvez fosse bom voltarmos à Câmara ,para não ser só promessas, queremos que façam o trabalho.
Há oliveiras com azeitonas, 4 patos no lago, muitos melros e andava alguém ou da Câmara ou da EPAL vendo o aqueduto, já que quando entrei na Tapada a porta daquela mãe de água que fica mesmo junto da porta de entrada estava aberta e estavam lá dentro 2 pessoas.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

João Bau, Candidato do Bloco de Esquerda Visitou a Tapada das Necessidades


A Tapada das Necessidades foi visitada por João Bau, candidato do Bloco de Esquerda às próximas eleições autárquicas.

O ainda deputado municipal verificou a situação de degradação dos caminhos e áreas verdes deste espaço que se mantém apesar da assinatura do Protocolo entre a CML e o Ministério da Agricultura (MA), em Outubro de 2008.

Tanto o Governo, que se comprometeu a comparticipar nos custos da reparação dos pavimentos e sistema de drenagem e limpeza da mata da Tapada das Necessidades, como a autarquia que no referido protocolo concordou em instalar e proceder à manutenção do mobiliário urbano, mesas, bancos, papeleiras e bebedouros, não cumpriram as promessas de há um ano atrás.

João Bau constatou a grande degradação dos caminhos e áreas verdes e manifestou a vontade do Bloco juntar-se às vozes que defendem este espaço verde público, exigindo da autarquia, que execute as medidas prometidas e, do Governo, através do MA, que assuma os compromissos assumidos.

Fonte: Laurindo Santos e site do Bloco de Esquerda; Imagem e tratamento da notícia: LFM

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

MAIS UMA VITÓRIA DOS AMIGOS DA TAPADA


Com esta notícia atingimos as 100 Mensagens, número celebrado com uma novidade feliz para todos os que amam a nossa Tapada.

*****

Ontem, na Sessão da Câmara Municipal de Lisboa, quando se começou a discutir a 16ª Proposta, da autoria do Vereador do Urbanismo, que há umas semanas atrás tinha sido agendada - e retirada - foi dada a palavra ao proponente, que defendeu obras de ampliação da Escola (provisória há 70 anos) Fernanda de Castro.

*****

O objectivo seria acrescentar uma creche da Santa Casa da Misericórdia, à custa do abate de árvores centenárias e de uma pressão ambiental que iria degradar - com esse golpe final - o belo espaço verde, que tem vindo a ser retalhado por entidades diversas, que ali construíram um inestético edifício do Ministério da Defesa Nacional e destruíram as cocheiras do Palácio para multiplicar estacionamentos do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

*****

O Presidente da Junta de Freguesia dos Prazeres, Engº Magalhães Pereira evidenciou, em relato partilhado com este blogue, a postura convergente na salvaguarda da Tapada, por parte dos diversos grupos políticos (Cidadãos por Lisboa de Helena Roseta, Lisboa com Carmona, PSD e PCP) e a atitude do Presidente da Câmara, que foi sensível aos argumentos, retirando a proposta nº 16 e recomendando a Manuel Salgado que falasse com a SCML, no sentido da solução não atentar contra aquele património verde da cidade, dado que aquela instituição possui um vasto património de imóveis em todas as freguesias.

*****

Magalhães Pereira considerou este acontecimento uma grande vitória.

*****

Pela nossa parte tudo fizemos para evitar o descalabro.

Efectivamente, o GATN reuniu de urgência quando soube da intenção que a proposta 16 configurava e produziu uma intervenção na sessão pública camarária, designando Laurindo Santos para a apresentar (que no final da intervenção e falando em nome do Grupo mostrou disponibilidade para reunirmos com o Vereador do Ambiente e Espaços Verdes, José Sá Fernandes, pois há que encontrar soluções para inúmeros problemas, que continuam com um futuro indefinido...)

*****

Todos os partidos e grupos, representados na CML, receberam atempadamente uma mensagem do GATN alertando para a perda colectiva que resultaria de uma decisão favorável.

*****

Triunfou o bom senso. Lisboa está de Parabéns e a Tapada, com o seu arvoredo magnífico, as suas memórias de pedra e a irrevereência dos seus habitantes, saltitões e ladinos, bem pode - poeticamente, - sorrir para o céu dos dias futuros.

LFM/GATN

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Jardim dos Cactos









Permitam que me apresente: Sou um dos inúmeros Amigos da Tapada das Necessidades, que nunca foi tão falada, fotografada, visitada, cobiçada (e maltratada) como nos dias de hoje, fora os autênticos malfeitores que delapidaram uma parte do património anteriormente...
Ele houve funcionários de ministérios, que desempenhavam papéis importantes, com apetências àquele verde, a fazer ultimatuns, ele houve senhoras benfazejas do próprio umbigo, que ansiavam serem rainhas do antigo moinho de vento daquele sítio, ele houve toda a sorte de gulas e tropelias que nem vale a pena aprofundar, senão ficamos agoniados...
Mas depois de todo este triste passado, ainda apareceu uma entidade, contratada para limpar o Jardim de Cactos, designado por alguns como dos mais importantes da Europa, que o deixou no estado que as imagens revelam.
Ora, para quem conhece esta parte da Tapada, se visitar agora o espaço percebe que houve um desbaste radical, deixando o Jardim dos Cactos quase nú...ou se preferirem, com uma grande carecada...

UM LEITOR DO BLOGUE

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Cinco Sentidos


Foram alunos da Fatinha, era habitual nesse tempo as professoras ou as mães levarem as crianças até à Tapada.
Neste alto-contraste, com a patine do tempo, o fotógrafo fez arte e deixou para a memória do futuro aquele instante mágico da descoberta de um território fantástico, ainda hoje digno de ser percorrido com os sentidos, pois há aromas, rugosidades e pedras esculpidas, existem aves canoras, gozam-se sabores (de medronho, por exemplo) e podem apreciar-se quadros dessa paisagem belíssima que é um privilégio fruir.
Nunca nos cansamos de sugerir: vá à Tapada, leve os seus filhos e se sentir, como o GATN que há coisas que estão mal, junte-se a nós, amplie o coro ou escreva à CML a pedir explicações (e já agora, que estamos em campanha eleitoral, soluções!).

GATN

domingo, 30 de agosto de 2009

Entre o Sonho e a Esperança






Reflectindo e verificando a evolução de árvores que plantaram com crianças, alguns companheiros do GATN fruíram momentos encantadores, convivendo com as cantorias dos pássaros.
Com uma parte dos amigos em férias, aqueles que moram perto da Tapada e acompanham regularmente a respiração das árvores e dos animais, que habitam esse local verde magnífico, combinaram entre si compartir uma manhã verde.
Conheceram-se há muito, alguns deles quando crianças, frequentaram este espaço, onde os dias decorrem - entre o sonho e a esperança.
Vizinhos que têm estima entre si, respeitam-se na diversidade dos percursos e adoram a Natureza, não desistindo de lutar pela salvaguarda da essência da tapada, enquanto território classificado.
Em Lisboa existe este espaço belo e histórico, de energia positiva - visitável, sem pagamento de qualquer importância - e pessoas que não são notícia mundana, mas que se esforçam em preservar um verdadeiro oásis da cidade.
Luís Filipe Maçarico (texto e fotografias)

sábado, 29 de agosto de 2009

Amor à Tapada - III (Caminhos e Novos Habitantes)








Carlos Bolacha e Maria Ana testemunham com estas imagens o estado dos caminhos da Tapada.
E registam o banho dos novos habitantes... que trouxeram nova alma ao cenário belíssimo que se situa na freguesia dos Prazeres, em Lisboa.
Obrigado por esta colaboração.
Carlos Bolacha e Maria Ana (Fotos)
LFM (Introdução)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

AS ÁRVORES DA TAPADA DAS NECESSIDADES - A ALFARROBEIRA













ALFARROBEIRA (Ceratonia siliqua)


CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Magnoliopsida

Ordem: Fabales

Família: Fabaceae

Subfamília: Caesalpinioideae

Género: Ceratonia

Espécie: Ceratonia siliqua L.


Nomes vulgares: O nome alfarrobeira deriva do vocábulo árabe al kharoubah que noutros idiomas deu lugar a algarrobo, algarrobero (espanhol), carruba (italiano), caroube (francês), carob tree (inglês) ou karoub (hebreu).


ORIGEM, DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA E CARACTERÍSTICAS


A alfarrobeira é uma árvore dióica (flores masculinas e femininas em pés distintos), de folha persistente composta de 2-5 pares de grandes folíolos arredondados, coriáceos e lustrosos, que atinge cerca de 10 a 20 m de altura, com copa ampla e densa e um tronco curto e grosso de casca acizentada e lisa. A alfarroba é o fruto da alfarrobeira, trata-se de uma vagem de 10-25cm de comprimento, comestível, pendente, verde no início, violeta-acastanhada na maturidade e sabor adocicado (contendo 40% de açúcares). Na alfarroba, tudo pode ser aproveitado, desde a semente, donde é extraída a goma, com múltiplas utilizações na indústria alimentar, farmacêutica, têxtil e cosmética, até à polpa essencialmente utilizada na alimentação animal.


A alfarrobeira é uma árvore com uma grande longevidade, podendo viver várias centenas de anos. Trata-se de uma árvore rústica, capaz de se desenvolver e frutificar em condições adversas de grande secura e em solos calcários. Além de representar um valor económico elevado, a sua cultura enriquece e melhora os solos.

Como curiosidades, gostaríamos de referir que dentro da alfarroba encontram-se 10 a 16 sementinhas de cor parda, os quilates, que eram utilizados pelos mercadores da Antiguidade, devido ao seu pouco peso e uniformidade, para avaliar o peso das jóias-daqui as palavras “karat” e “kilat”.

De referir também que em túmulos no antigo Egipto foram encontrados vestígios de alfarroba, o que leva a supor que esta vagem seria utilizada para a preparação de múmias.


A alfarrobeira é uma espécie típica da flora mediterrânica. Terá sido trazida pelos gregos da Ásia Menor. Existem indícios de que os romanos mastigavam as suas vagens secas, muito apreciadas pelo seu sabor adocicado. Como outras, a planta teria sido levada pelos árabes para o Norte de África, Espanha e Portugal. Em Portugal existe predominantemente a Sul do Tejo, sendo no Algarve, na zona do Barrocal, que tem a sua principal expressão ecológica e económica. De folhagem escura e densa, contrasta com a folhagem verde acizentada pálida das oliveiras que com elas partilham o mesmo habitat.

Actualmente a alfarrobeira está distribuída desde o Egipto à Grécia, Sul da Europa, ilhas Mediterrânicas, Norte de África e ainda o Sudoeste dos Estados Unidos, Hawai, Austrália e África do Sul.

A produção mundial de alfarroba é da ordem das 300 mil tons/ano, e concentra-se em redor do Mediterrâneo, concretamente em Espanha, Itália, Portugal e Grécia, onde se produz cerca de 75% do total mundial. O principal produtor de alfarroba é a Espanha, seguindo-se a Itália e em 3ª. Posição encontra-se Portugal.

Esta planta há séculos que vem contribuindo para a economia da bacia mediterrânica, como alimento das populações humanas, animais, fabrico de aguardente, xaropes e produtos farmacêuticos. Laxativas no estado verde, as alfarrobas são antidiarreicas no estado maduro.


FLOR E FRUTO


O período da floração vai de Fevereiro a Abril. O mecanismo natural de reprodução desta espécie começa com a queda do fruto maduro (uma vagem) no Outono/Inverno,a partir do qual se produz uma putrefacção da vagem ficando livres as sementes que se distribuem pela manta vegetal. O sucesso da germinação na Primavera seguinte dependerá das condições edafo-climáticas em que decorreu essa putrefacção.

Na reprodução em estufa, acelera-se o processo natural a partir de frutos bem maduros de onde se extraem as sementes que são lavadas, secas e armazenadas à temperatura ambiente. Devido à dimensão da semente (5-7mm), a sementeira é feita individualmente em alvéolos com cerca de 800cm3, que foram previamente cheios com substracto adequado. Nestas condições são necessários 30 a 40 dias para a plântula eclodir, e estará pronta para transplante em local definitivo ao fim de cerca de 18 meses.


ALFARROBEIRAS NA TAPADA DAS NECESSIDADES


Sob a Casa do Regalo existe um “grotto” com uma fonte de onde parte um eixo ladeado por muros altos e caiados, por onde corria uma cascata de água de 35 m de extensão, e onde até há pouco tempo existia uma colecção de plantas de ambiente fresco.

O eixo termina num alto muro de suporte de terras, semi-circular, com bancos de descanso em pedra de calcáreo e uma fonte barroca com taça de mármore ao centro. De cada lado da fonte há um arco fechado com portas de madeira de ripado de duas abas que dão acesso ao eixo, com canteiros longitudinais, dois laterais e um central.

Este é o local na Tapada ideal para encontrarmos as alfarrobeiras. De facto aí podem ser observados 3 magníficos e frondosos exemplares, um em cada extremidade do muro de suporte de terras, e outro frente ao lago de 14 m de diâmetro com um repuxo de cantaria no centro, que se encontra no meio de um grande largo que dá um magnífico enquadramento ao conjunto, grotto, eixo, muro, fonte e lago, que data do séc.XVIII.

Os três exemplares aqui referidos, estão representados nas fotos que acompanham este trabalho.


EXEMPLARES CLASSIFICADOS NA CIDADE DE LISBOA


Não são conhecidos exemplares desta espécie classificados na cidade de Lisboa.


João Pinto Soares Lisboa (texto e fotografias)

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Amor à Tapada - II








Têm chegado nos últimos tempos novas colaborações. Muito brevemente divulgaremos mais um estudo do Amigo João Pinto Soares, desta vez sobre a alfarrobeira.
Entretanto, mais um conjunto de imagens trazidas por Carlos Bolacha. Nunca é demais prestarmos tributo à Natureza, porque se somos poeira de estrelas, a elas voltaremos..

Imagens: 1 - Bela Sombra; 2 - Casa do Fresco: topo onde faltam taças; 3- Dragoeiro; 4 e 5 - Romãs; 6 e 7 - Alameda.

Obrigado Maria Ana e Carlos por estes pedaços de vida!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Amor à Tapada










Recebemos um mail de Carlos Bolacha, que saudamos (tal como à companheira Maria Ana Cunha), por mais este contributo, que testemunha visualmente aquilo que o GATN tem criticado. Diz este Amigo:

"Estivemos uma manhã destas na Tapada e tirámos umas fotos que envio.
De notar a situação dos caminhos, os habitantes da Tapada, a degradação das Taças da Casa do Fresco, o Gerador na Tapada, e algumas preciosidades vegetais.
Um abraço."

Registamos a colaboração de diversos elementos do GATN neste blogue e particularmente esta, pela riqueza do conteúdo, muito pertinente. Apresentamos hoje uma primeira tranche das várias imagens enviadas, que pudemos constatar ontem mesmo, pois também revisitámos este espaço de sonho, infelizmente ainda muito abandonado...
Bem Hajam, Carlos e Ana pelo vosso olhar (e amor à Tapada)!

Texto introdutório: LFM; Fotografias de Carlos Bolacha

Legendas das imagens:

1 a 4 -Taças derrubadas; 5 a 8- Desperdícios de Limpezas; 9 - Gerador Eléctrico do Palácio das Necessidades instalado na Tapada.