sexta-feira, 10 de abril de 2009

2 ANOS DE RESISTÊNCIA E CIDADANIA






No dia 10 de Abril de 2007 reuniram pela primeira vez os aderentes da ideia de fundação de um grupo, que face ao estado de abandono em que a Tapada das Necessidades se encontrava, se movimentasse na cidade e na freguesia, em prol do acesso livre de todos àquele espaço mágico.
Os contactos multiplicaram-se, sensibilizando população, políticos e comunicação social, contra a magalomania de um ou outro dirigente intermédio do Ministério dos Negócios Estrangeiros, que congeminaram situações burlescas, que implicavam a perda popular do território, para usufruto exclusivo de diplomatas e visitantes estrangeiros poderosos.
Caminhadas, reportagens, notícias, intervenções na Assembleia de Freguesia e Municipal, com as associações, a autarquia local e os habitantes de Prazeres envolvidos, conseguiram desviar o curso dos acontecimentos e sensibilizar a Câmara Municipal, que acabou por assinar um protocolo com o Ministério da Agricultura, que se afastara do processo de gestão e preservação.
Dois anos depois, há que estar vigilante, mas sabe bem dizer que este percurso tão intenso valeu a pena, pois temos a Tapada aberta para o povo e promessas de renovação.
O Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades está pois de parabéns, tal como a população da freguesia dos Prazeres que não baixou os braços. E os grupos políticos que apoiaram esta causa, sem ambiguidades: Verdes, PCP, PSD, Cidadãos de Helena Roseta.
LFM (texto e fotos)

Sem comentários: