quinta-feira, 30 de setembro de 2010

OutJazz: Setembro Musical na Tapada



Ao longo do mês de Setembro, o GATN esteve presente na Tapada, acompanhando o OutJazz para sensibilizar o público para a história e potencialidades daquele património natural.
O grande relvado esteve sempre pejado de assistência, tendo uma parte dessas pessoas, através do GATN, sabido mais sobre o espaço.
GATN/LFM:Texto João Pinto Soares:Fotos.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Jornadas Europeias do Património no Jardim Botânico


A Liga dos Amigos do Jardim Botânico e a Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas, no âmbito das Jornadas Europeias do Património 2010 - Um Mapa Vivo da História, convidam todos os interessados para o evento a realizar no dia 25 de Setembro, pelas 10h, no Jardim Botânico, que inclui visita guiada e debate, em torno de um património botânico que enriquece a cidade e o conhecimento.
PARTICIPE!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

PROMOÇÃO DA TAPADA PELO GATN NO FESTIVAL OUT JAZZ


No passado dia 19, como tem sucedido em todos os domingos de Setembro, o GATN participou na animação, em torno do Festival OUT JAZZ, realizado na Tapada das Necessidades, promovendo o conhecimento e a dinamização daquele espaço verde, junto do público daquele evento musical.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

TAPADA E SAÚDE MENTAL











Como pode um local como a Tapada das Necessidades contribuir para a Saúde Mental dos que dela usufruem? E que serão todos os que o desejem, pois a Tapada é , em Lisboa e em 2010, um local público, cuidado pelos poderes públicos, a pedido de um Grupo de Amigos, para que todas as pessoas possam usá-lo e dele beneficiar.

Falando de Saúde Mental, a Tapada é terapêutica:

- porque é verde, cor da Natureza, da tranquilidade, da paz, e da vitalidade. É silenciosa, livre de ruídos de máquinas, de barulhos de motor, de toques de telefones. Mas tem sons, dos nossos pés nos caminhos, das folhas que mexem ao vento, dos pássaros que voam e cantam.

A Tapada é lindíssima, porque a vegetação é verde, brilhante e rica, é variada e tem história, tem passado e tem futuro, faz-nos sentir a continuidade de que precisamos nas nossas vidas.

O ar da Tapada, apesar de esta existir na cidade, é leve, despoluído, transparente. A cabeça de quem por lá passeia, despovoa-se de preocupações e obrigações que, retirando-se, abrem espaço para a imaginação, a recordação, o desejo, as ideias soltas, livres. A calma instala-se, a serenidade invade-nos.

E é nisto tudo, e por isto tudo, que se pode dizer que a Tapada é "terapêutica", palavra em geral reservada para tratamentos artificiais, quando outros há que, mais próximos da vida, melhor servem.

A Tapada é terapêutica também porque nos deixa andar, respirar, ver, sentir, dentro dela, ou seja, recebe-nos em corpo e alma, ou em psique e soma, sem que tenhamos que negar uma parte de nós para vivermos a outra - o que, vezes de mais, o quotidiano e o social nos exigem.

A Tapada promove a nossa saúde porque desperta em nós o desejo de a cuidar, de a proteger, de a preservar, de contribuir para a sua constante criação. E de a partilhar, de melhorá-la, para melhor servir a nós e a outros. É um espaço de vida, onde viver não é luta, é natural, harmonioso, pacífico.

A Tapada, em suma, vem ao encontro das nossas Necessidades, de paz, de sossego, de beleza, de espaço, de silêncio, de Natureza.

Manuela Ferraz da Costa

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Visita Guiada de Domingo 5 de Setembro


A imagem, enviada por João Pinto Soares, traduz o crescente interesse pelas visitas guiadas à Tapada, dinamizadas pelo GATN.
Visite a Tapada das Necessidades.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Café Portugal divulgou a Tapada


A Tapada foi notícia na informação on line, acerca do património, que regularmente, e, com qualidade, o Café Portugal divulga.
Aqui se propõe a leitura das palavras, que aquele sítio em linha, nos oferece:
LFM/GATN. Imagem: Café Portugal

A Tapada nas Marcas das Ciências e das Técnicas pelas ruas de Lisboa



Está on line o resultado da intensa e prolongada investigação, a cargo de uma equipa, dirigida pela Professora Doutora Ana Luísa Janeira, projecto esse designado "Marcas das Ciências e das Técnicas pelas Ruas de Lisboa".
Assinado por aquela investigadora, o texto da ficha sobre a nossa Tapada, alude às Memórias do Pintor Edouard Manet, que terá confessado que Le Déjeuner sur L'Herbe terá sido insppirado numa curta estadia do artista na Tapada das Necessidades em 1859.
No final do seu artigo, e na sequência do relato da destruição do Picadeiro para construção do Instituto de Defesa Nacional, decisão que considera lamentável, a Professora afirma:"Felizmente, o Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades tem lutado para que nunca mais se venha a repetir nada de semelhante, desde 10-4-2007.
LFM/GATN