quarta-feira, 15 de setembro de 2010

TAPADA E SAÚDE MENTAL











Como pode um local como a Tapada das Necessidades contribuir para a Saúde Mental dos que dela usufruem? E que serão todos os que o desejem, pois a Tapada é , em Lisboa e em 2010, um local público, cuidado pelos poderes públicos, a pedido de um Grupo de Amigos, para que todas as pessoas possam usá-lo e dele beneficiar.

Falando de Saúde Mental, a Tapada é terapêutica:

- porque é verde, cor da Natureza, da tranquilidade, da paz, e da vitalidade. É silenciosa, livre de ruídos de máquinas, de barulhos de motor, de toques de telefones. Mas tem sons, dos nossos pés nos caminhos, das folhas que mexem ao vento, dos pássaros que voam e cantam.

A Tapada é lindíssima, porque a vegetação é verde, brilhante e rica, é variada e tem história, tem passado e tem futuro, faz-nos sentir a continuidade de que precisamos nas nossas vidas.

O ar da Tapada, apesar de esta existir na cidade, é leve, despoluído, transparente. A cabeça de quem por lá passeia, despovoa-se de preocupações e obrigações que, retirando-se, abrem espaço para a imaginação, a recordação, o desejo, as ideias soltas, livres. A calma instala-se, a serenidade invade-nos.

E é nisto tudo, e por isto tudo, que se pode dizer que a Tapada é "terapêutica", palavra em geral reservada para tratamentos artificiais, quando outros há que, mais próximos da vida, melhor servem.

A Tapada é terapêutica também porque nos deixa andar, respirar, ver, sentir, dentro dela, ou seja, recebe-nos em corpo e alma, ou em psique e soma, sem que tenhamos que negar uma parte de nós para vivermos a outra - o que, vezes de mais, o quotidiano e o social nos exigem.

A Tapada promove a nossa saúde porque desperta em nós o desejo de a cuidar, de a proteger, de a preservar, de contribuir para a sua constante criação. E de a partilhar, de melhorá-la, para melhor servir a nós e a outros. É um espaço de vida, onde viver não é luta, é natural, harmonioso, pacífico.

A Tapada, em suma, vem ao encontro das nossas Necessidades, de paz, de sossego, de beleza, de espaço, de silêncio, de Natureza.

Manuela Ferraz da Costa

Sem comentários: