quinta-feira, 14 de Abril de 2011

O ZAMBUJEIRO (Olea europaea var sylvestrys)



Exemplar pluri-centenário, considerado um dos exemplares vegetais mais antigo, senão mesmo o mais antigo existente na Tapada das Necessidades. Encontra-se localizado na zona da mata mediterrânica, na parte Norte da Tapada.

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Reino: Plantae

Classe: Magnoliopsida

Ordem: Lamiales

Família: Oleaceae

Género: Olea

Espécie: Olea europaae var sylvestrys

ORIGEM E LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

O ZAMBUJEIRO ou oliveira brava pertence à família das oleaceas. É uma árvore originária da Bacia do Mediterrâneo e espontânea em Portugal, que foi transformada por sucessivos cruzamentos com o objectivo de produzir frutos maiores, dando origem à oliveira. Apresenta folhas e fruto mais pequenos que esta. Muito bem adaptada à secura, forma bosques com sobreiros e azinheiras, podendo dominar originando os zambujais.

É uma espécie endémica da ilha da Madeira com a denominação: Olea maderensis, (Lowe), (Rivas Mart. & Del Arco). Surge também nas Canárias, Europa continental, Ásia ocidental e Norte de África.

CARACTERÍSTICAS

Apresenta uma copa arredondada e densa, no entanto pode manter-se no estado arbustivo e formar matagais. Tem grande longevidade e apresenta um crescimento lento, podendo atingir os 10 metros de altura. O tronco é curto, irregular e tende a retorcer-se à medida que envelhece. As folhas são verdes escuras na página superior e cinzentas esbranquiçadas, na página inferior. As flores brancas, em cachos, surgem entre Abril e Junho e os seus pequenos frutos atraem as aves e outros animais no Outono.

O Zambujeiro cresce em qualquer tipo de solo, é uma planta termófila, ou seja, tem a capacidade de resistir à seca. e ao calor.

CURIOSIDADES

O Zambujeiro é uma árvore ou arbusto que pode viver mais de mil anos. É usado muitas vezes como porta enxerto sobretudo em olivais antigos e, também como corta-vento. A sua madeira é das mais duras e compactas. A lenha é um óptimo combustível e dá um excelente carvão. O azeite que se produz a partir dos seus pequenos frutos é uma preciosidade e pode ser utilizado para fins culinários e medicinais.

Na antiguidade, os vencedores dos jogos olímpicos eram condecorados com ramos de Zambujeiro.

PRESENÇA NA TAPADA DAS NECESSIDADES

A parte superior da Tapada, designada mata mediterrânica dado o tipo de vegetação que a constitui, é em alguns pontos muito cerrada e coberta de zambujeiros centenários, de grande porte, no meio dos quais crescem adernos (1) e alfarrobeiras, e defendida por linhas serradas de ciprestes e pinheiros ao longo dos muros, foi mantida como uma mata de vegetação autóctone para os passeios a cavalo e para as aves e os corços, num ambiente que se pretendia próximo do natural.

O estrato vegetal inferior da zona da mata mediterrânica é dominado pelos acantos.

EXEMPLARES CLASSIFICADOS NA CIDADE DE LISBOA

Existem Classificados de Interesse Público os seguintes exemplares de Zambujeiro na cidade de Lisboa:

Freguesia de Benfica - Parque florestal de Monsanto - dois exemplares, processos nos. KNJ3/057 e KNJ3/058, D.R. n.º 198 II série de 14/10/2005.

(1) Freguesia da Ajuda – Parque Florestal de Monsanto – um exemplar com cerca de 60 anos, processo no. KNJ3/068, Aviso nº.13 de 09/11/2009.(1) – Adernos (Phillyrea latifolia), uma das duas espécies do género Phillyrea, ambas espontâneas em Portugal. São arbustos da família Oleaceae, como as oliveiras, de crescimento lento, folha persistente, verde claro na página inferior e verde escuro na página superior, flores minúsculas esverdeadas. O seu fruto é muito apreciado pelas aves.

João Pinto Soares (texto e fotografia)

Sem comentários: