quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Sinais de Mudança

AMIGOS, É ALTURA DE VIRAR MAIS UMA PÁGINA DO CALENDÁRIO.
O ANO QUE AGORA TERMINA NÃO FOI MUITO BOM PARA OS PORTUGUESES NEM PARA A TAPADA DAS NECESSIDADES SUJEITA A UMA ONDA DE VANDALISMO SEM PRECEDENTES.
CONTUDO, NÃO ESMORECEREMOS NA NOSSA LUTA. HÁ SINAIS DE MUDANÇA, AS OBRAS DE RECUPERAÇÃO DA ESTUFA CIRCULAR COMEÇARAM!
O GATN DESEJA A TODOS UM BOM NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO

João Pinto Soares

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A Beleza do Exemplar de Ginkgo Biloka do Jardim Olavo Bilac


Todos os anos, em Novembro, esta imagem  repete-se. Antes que as folhas se despeçam até ao novo ano, tomam uma coloração muito bela, como a imagem documenta,  podendo ver-se muitas folhas já  caídas atapetando o chão.


Consideramos o Jardim Olavo Bilac como   uma extensão da Tapada  das Necessidades.  De facto, ele foi construído   na Praça do Obelisco, que por sua vez faz parte integrante da Obra das Necessidades, da autoria do nosso Rei D. João V.

Este jardim, que recebeu o nome de um escritor e político brasileiro contemporâneo da nossa Rainha D.ª Amélia - Olavo Bilac - que com ele  se correspondeu, para  além de uma vista soberba sobre uma zona antiga da cidade de Lisboa – A zona de Alcântara (A Ponte) -  e para  o Rio Tejo, possui um conjunto notável de árvores, entre   as quais o exemplar   de Ginkgo biloba aqui representado.

A Ginkgo biloba como exemplar botânico

Segundo alguns botânicos é a espécie viva geneticamente mais antiga,considerada um fóssil vivo. Existem registos fósseis de folhas de ginkgo datadas de há 150 milhões de anos, o que as remete para o tempo dos dinossauros (Período Jurássico).  Chegou a ser  considerada uma espécie rara, dadas as reduzidas populações naturais existentes apenas na China, país de onde é originária. Hoje,  encontra-se   espalhada  por todo o Mundo, constituindo  árvore de alinhamento em muitas ruas das nossas cidades. São árvores que podem atingir os 30 metros de altura. Apresentam umas folhas muito particulares em forma de leque com um rasgo ao meio, donde o nome da espécie biloba, que se pintam de  de um amarelo intenso no Outono, principalmente no mês de Novembro, antes de caírem. De muito fácil cultivo, pouco sujeitas a   pragas e doenças e muito resistentes à poluição das cidades, tornaram-se  boas árvores de arruamento. O fruto tem um odor  muito desagradável, mas como é uma  espécie dióica, apenas as árvores femininas dão fruto, tornando os pés masculinos mais apetecidos para fins ornamentais. Muito utilizada na medicina alternativa pelas suas  propriedades regenerativas, despertou o interesse dos investigadores após a Segunda Guerra Mundial, por ter sobrevivido à explosão atómica em Hiroxima, brotando no solo da cidade  devastada. Tornou-se, assim,  um símbolo da Paz e Longevidade .
.                         
                          Pinto Soares

domingo, 11 de novembro de 2012

Vandalismo Continua!



João Pinto Soares alerta para o estado de degradação que aumenta na Tapada das Necessidades. Diz este cidadão empenhado na salvaguarda ambiental:

A onda de vandalismo que continua a grassar na Tapada das Necessidades, tornou possível o acesso ao “GROTTO” existente na base da “CASA DO REGALO”, de onde são provenientes estas fotos. 
(fotos da autoria do próprio Pinto Soares)

 

As fotografias demonstram esta infeliz constatação, fruto da desatenção de um poder que despreza tudo o que não for rentável/comercializável. 

Pondo no mesmo saco mercadorias e património, o bem estar das pessoas e o verbo transaccionar.

Aulas de Tai Chi na Tapada

    EM NOVEMBRO, O TAI-CHI VOLTOU À TAPADA DAS NECESSIDADES E À ESCOLA 18
 
Por iniciativa do Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades e com o apoio da Junta de Freguesia
dos Prazeres, acompanhando as actividades curriculares do ano Escolar 2012/2013, tiveram  início as
aulas de TAI-CHI englobando todos os alunos do primeiro ciclo das duas  escolas  da Freguesia  dos
Prazeres.
 
Pinto Soares

Desolação na Paisagem Urbana



Quem contaminou quem? As palmeiras do Corpo Santo? Ou a palmeira do Arsenal da Marinha?
Porque razão, não foram tomadas medidas, logo que a praga se manifestou, em território nacional - e o laxismo, foi a principal atitude, até a opinião pública, os jornais, as redes sociais, os blogues, reclamarem uma actuação, que pudesse salvar as palmeiras portuguesas?
É com tristeza, depois de muitos anos a percorrer esta parte de Lisboa, que se constata que muito pardal deixou de ter morada na vasta cabeleira daquelas árvores, e com redobrado nojo que se lê por vezes a estupidez de alguns comentários, rejubilando-se com a morte das palmeiras, por serem oriundas de outras latitudes. Pobre Natureza, vítima das malfeitorias do ser humano, desta forma de pensar e estar que não valoriza o património ambiental...
Cidadão Indignado

Perto do Jardim da Estrela...


Esta palmeira moribunda, está há semanas assim.
Como é possível que ninguém - sobretudo os especialistas, que sabem tudo, mas não saiem dos gabinetes - tome medidas?
Como é sabido, uma palmeira neste estado, é um foco de infecção para as que estiverem próximas.
Deve ser queimada.
Em 2007, no Porto Santo, uma palmeira atacada pela praga do escaravelho das palmeiras, ficou oca por dentro e caiu em cima de um cidadão, matando-o.
Cidadão Atento

terça-feira, 6 de novembro de 2012

RELAÇÃO DAS PEÇAS PROVENIENTES DO PALÁCIO DAS NECESSIDADES E DA COLECÇÃO PARTICULAR DA CONDESSA DE EDLA, PRESENTEMENTE NO MUSEU NACIONAL DA ARTE ANTIGA


O MUSEU NACIONAL DE ARTE ANTIGA, UM POUCO DE HISTÓRIA

O Museu Nacional de Arte Antiga, também conhecido  por Museu das Janelas Verdes,  por  se situar  na rua  com  o  mesmo  nome, é   actualmente   um  organismo  oficial  dependente do Instituto Português de Museus.



O Museu encontra-se instalado no palácio dos Condes de Alvor, mandado construir no séc. XVII por D. Francisco de Távora, 1.º Conde de Alvor,

 Posteriormente, o Palácio de Alvor,  passou a ser conhecido como Palácio  de  Alvor-Pombal, porque, em 1759, o edifício foi  adquirido  por  Paulo  de Carvalho e Mendonça, irmão do Marquês de Pombal que, por morte do primeiro, passou a ser proprietário  do  palácio, tendo  este  ficado  na posse da sua família   por mais de um século.

Em 1884 o actual Museu Nacional de Arte Antiga foi adquirido pelo Estado Português.

Em  1918« é  demolido o Mosteiro das Freiras Carmelitas Descalças, também conhecido por Convento das Albertas, nome derivado do seu patrono,Santo Alberto, contíguo ao palácio Alvor, para aí ser  construído  o edifício ANEXO  tal como o conhecemos   ainda   hoje, que só foi inaugurado em 1940 e dá entrada principal ao Museu, pelo Jardim 9 de Abril.  

 Do Convento das Albertas existe ainda a capela   e  a cerca onde foi construído o Jardim 9 de Abril.


A  CRIAÇÂO  DO  MUSEU  DE  ARTE  ANTIGA  COMO RESULTADO  DA  REVOLUÇÃO  LIBERAL


Com a abolição das Ordens Religiosas por decreto de  28 de Maio de 1834, logo   no   dia   seguinte   ao da convenção de Évora-Monte que acabou com a guerra civil entre absolutistas e liberais, o novo poder entregou ao Estado  muitas centenas de objectos pertencentes aos mosteiros.

Depois da implantação da república   dá-se   a   entrada  no museu de nova leva   de peças   provenientes dos  Palácios Reais, entre os quias  o Palácio das Necessidades, morada dos últimos reis de Portugal.


Lista   de   obras   de   arte  existentes na casa forte do extincto Paço das Necessidades cuja  remoção é pedida para o Museu Nacional de Arte Antiga

Nº 1 – Custodia lavrada por Gil Vicente e dada por D. Manuel ao convento dos Jerónimos de Belém.

Nº 2 – Cruz de D. Sancho.

Nº3 – Cálice gótico de prata dourada, ( Sec. XVI ); pertenceu ao convento de Cristo de Tomar.

Nº4 – Cofre-relicário de prata, com baixos relevos alusivos à paixão de Cristo; pertenceu  ao convento de Cristo de Tomar.

Nº5 – Uma mesa com tampa de embrechados e trempe de bronze dourado em que se veem as  iniciais da Rainha D. Carlota Joaquina.

Lisboa e Secretaria do Museu Nacional de Arte Antiga em 22 de Maio de 1916


Relação dos objectos legados ao Museu Nacional de Arte Antiga, pela falecida Senhora Condessa de Edla

1 – Um quadro a óleo, pintura  sobre madeira, “O Menino Jesus entre os doutores”, escola flamenga (de Antuérpia), começo do século XVI.

2 – Um quadro a óleo, representando ”Nossa Senhora e o Menino Jesus”, assinado: Josefa de Ayalla, (Josefa de Óbidos)) -1637.

3 – Dois   quadros   a óleo, “Paisagens,   escola   holandesa   - ( Sec. XVII).

4 – Um quadro a óleo, “ Um casamento”, numa moldura oval, escola francesa, segunda metade do Sec. XVIII.

5 – Um quadro a óleo, “Nossa Senhora, o Menino Jesus e S. José”, assinado: José Gonçalves Paz, - 1770.

6 – Um quadro a óleo, pintura sobre tela, “Retrato de D. Fernando II, de Portugal”, (tamanho natural), assinado: Leyrand.

7 – Um Cristo de marfim, - assinado: Francesco Terelli, fim do Sec. XVI:

8 – Um baixo relevo em madeira, “O Calvário”.

9 – Um desenho de Sequeira, datado de 1804.

10 – Dois jarros de loiça de Sacavém, - pintados por D. Fernando II, de Portugal.

11 – Um busto de bronze,” O Infante D. Henrique”: -assinado: J,Droz- (1842).

12 – Uma estatueta de bronze, “Um anjo”, assinado: Clodion, fundição de De Braux.

13 – Chapas das    gravuras originais   de D. Fernando II, de Portugal (São cento e vinte e sete chapas de cobre, duas de prata e duas de marfim).

14 – Uma estatueta de bronze, “Um cavaleiro”. – assinada: Barye.

15 – Quatro colheres de prata, antigas, tendo uma, o   retrato gravado de um príncipe de Saxe Coburgo Gotha – outra, uma figura de mulher e outra uma carranca, sendo a última lisa.

16 – Uma colher de prata dourada, com cabo de ferro, embutido de ouro.

17 – Uma colher de buxo, com figuras em relevo, estilo gótico.

18 - Álbuns, gravuras  e livros   raros   da   colecção de D. Fernando II,  de Portugal, constantes  de uma  relação  de   dezasseis rúbricas,  que   acompanharam   as obras  atrás  referidas, entradas  no  Museu de Arte Antiga   em   20   de Novembro de 1929.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Uma Escola na Tapada, há 74 Anos

O Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades (GATN), esteve presente, no dia 22 de Outubro de 2012, na festa comemorativa do septuagésimo quarto aniversário da Escola Fernanda de Castro, na Tapada das Necessidades.
 
Em Outubro de 1938, Fernanda de Castro (1900-1994), fundadora da Associação Nacional dos Parques Infantis, inaugura, na Tapada das Necessidades, o Parque n.º 3, com lotação para 200 crianças, constituindo “um empreendimento social destinado às crianças necessitadas dos bairros de Alcântara e Fonte Santa, bairros dos mais pobres de Lisboa”.
 
Beneficiando  do enquadramento paisagístico e ambiental da Tapada das Necessidades e da orientação pedagógica preconizada por Fernanda de Castro, o “Parque das Necessidades” proporcionou a largas centenas de crianças, durante maias de três décadas, alimentação, cuidados médicos, educação e afecto.
 
Herdeira de uma notável tradição educativa, que assume com orgulho e dedicação, a EB1 Fernanda de Castro tem continuado a ser, nos últimos anos, o “ninho” de muitas crianças que aqui aprendem a “ler a vida” e a alegria de crescer em amor e liberdade.
 
Felizmente, a Câmara Municipal de Lisboa e o Agrupamento de Escolas Manuel da Maia decidiram criar aqui um novo Jardim de Infância Público, abrindo na Escola Fernanda de Castro o Ensino Pré-Escolar (para crianças dos 3 aos 5 anos) no início do ano lectivo 2012/2013.
 
(Biblioteca/Centro de Documentação da Junta de Freguesia dos Prazeres)
 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Proposta 224, Projecto 152 do Orçamento Participativo

Amigos, decorre de 17 de Setembro a 31 de Outubro de 2012 o período de votação para  o ORÇAMENTO PARTICIPATIVO de Lisboa, 2012.

Considerando que  há uma proposta relacionada com a recuperação das instalações sanitárias existentes na Tapada das Necessidades, integrada nos projectos cujo orçamento será de valor superior a 150.000 e até 500.000 Euros, considero que todos os Amigos da Tapada das Necessidades, no caso de não pretenderem votar noutra proposta, o fizessem na Proposta 244, Projecto 152.

Deixo este assunto à vossa consideração.

Pinto Soares

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Visita Guiada à Tapada Sábado 1 de Setembro, pelas 15 horas

No próximo sábado 1 de Setembro, realiza-se nova caminhada, com guia para o visitante interessado, com informação sobre a história, o património construído e ambiental deste espaço verde, que é uma referência nas cidade.
Se pretender fruir a Tapada das Necessidades, basta-lhe - e sem qualquer pagamento, neste primeiro sábado do mês, pelas 15h, concentrar-se na portaria sul da Tapada, Largo das Necessidades.
Sábado 1 de Setembro, portanto, tem uma nova possibilidade de conhecer este espaço.
 

OUT JAZZ NA TAPADA: SERIA BOM SE NÃO HOUVESSE DESACATOS...

À semelhança dos anos transactos, vai ter lugar nos Jardins da Tapada das Necessidades, todos os Domingos do mês de Setembro, às 17,00, o espectáculo musical OUT JAZZ 2012.

Também à semelhança dos anos anteriores, o GATN receia que possam acontecer actos ou atitudes menos condizentes com o espírito que envolve aquele espaço natural.

Consciente dessa possibilidade, o GATN teve já uma reunião com o Sr, Presidente da Junta de Freguesia dos Prazeres, Eng. Magalhães Pereira, onde teve a oportunidade de expor as suas preocupações, que se prendem fundamentalmente com os horários e com a vigilância, a fim de evitar actos de vandalismo sobre o património da Tapada e agressões aos funcionários da Junta de Freguesia dos Prazeres que aí prestam serviço, sendo  responsáveis pela Portaria SUL da Tapada.

Garantiu-nos o Sr. Presidente que iria tomar  as medidas necessárias junto das entidades competentes.

Os membros do GATN estarão atentos.

JPS

Pós Graduação em Jardins e Paisagem: Abordagem Multidisciplinar com Estágio

Face à adesão e resultados de excelência obtidos na Pós-Graduação em JARDINS e PAISAGEM, a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas continua a apostar nesta nova área de estudo com a abertura da Pós-Graduação pelo segundo ano consecutivo no próximo ano letivo - 2012/2013.
A Pós-Graduação em Jardins e Paisagem, através de uma abordagem multidisciplinar da História da Arte, Geografia, Arquitetura Paisagista, Antropologia e História, proporciona uma formação profissionalizante de qualidade, que prepara especialistas e técnicos para trabalhar nos setores que detenham a tutela de jardins históricos e parques naturais. Conclui-se a formação com uma visita de estudo a jardins e parques naturais nacionais ou internacionais.
O curso, com início em Outubro de 2012, compreende um estágio incluído na unidade curricular de Projeto, no qual o aluno desenvolverá um projeto individual em consonância com o local onde está a realizar o estágio.
Os trabalhos de Projeto podem ser tão variados quando um programa de animação cultural para um jardim histórico, realização de um folheto de divulgação, projeto de manutenção de um parterre de buxo barroco, reinterpretação com vista à recuperação de um labirinto setecentista, levantamento dos teatros em jardins, avaliação de uma paisagem agrícola com vista ao ordenamento do território, realização de um programa de visita virtual para iphone ou ipad, ou um plano de gestão/programação de um parque natural.
Aposte numa área cheia de oportunidades e na qual a concorrência ainda não é muita.
Para mais informações consulte: http://jardinspaisagem.blogspot.com


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Curso de Guias do Jardim Botânico 2012

CURSO DE GUIAS DO JARDIM BOTÂNICO 2012

O curso de Guias do Jardim Botânico do MNHN, ministrado por Alexandra Escudeiro, Bióloga do Jardim Botânico do MNHNC terá lugar de 3 de Setembro a 1 de Outubro de 2012.

O seu objetivo é a formação de Guias habilitados a orientar visitas temáticas ao Jardim Botânico.

As aulas, teórico-práticas, serão leccionadas segundas e quintas, das 18h00 às 19h30 e das 18h00 às 20h00, respectivamente.

Este curso é direccionado aos licenciados em Biologia e áreas afins ou aprovados em cadeiras de Botânica do Ensino Superior. Ainda assim, outros candidatos serão, previamente, sujeitos a entrevistas para admissão no curso. O período de inscrições no curso decorrerá a partir de agora até 17 de Agosto; os candidatos devem enviar o Curriculum Vitae com uma foto para geral@museus.ul.pt e preencherem o formulário de inscrição em:



O investimento na inscrição é de 110€ por pessoa.

Os melhores alunos deste curso serão laureados com o prémio «Brotero 2012». Este foi instituído pela Liga dos Amigos do Jardim Botânico para comemorar o centenário da edição da primeira Flora de Portugal dos tempos modernos.

O Jardim Botânico situa-se no centro histórico de Lisboa e o seu ambiente constrói-se em torno de plantas repletas de significado e provenientes de todo o mundo.

Lisboa, 16 de Julho de 2012

Alexandra Escudeiro
Jardim Botânico da Universidade de Lisboa
Morada: Rua da Escola Politécnica, 58
1250-102 Lisboa
Tel.: 213921896
E-mail:
maescudeiro@museus.ul.pt
FOTO: Liga dos Amigos do Jardim Botânico
 
--
LIGA DOS AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO
Rua da Escola Politécnica, 58
1250-102 Lisboa

Tel./Fax: 21 392 18 28
http://www.jb.ul.pt/ http://amigosdobotanico.blogspot.com/
O Jardim Botânico de Lisboa está no 2012 WORLD MONUMENTS WATCH
www.wmf.org

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

O Carinho dos Visitantes

Imagem recolhida durante a visita guiada de 4 de Agosto de 2012.
 
O carinho dos visitantes para com os animais da tapada.
 
Recuando nos tempos, faz lembrar uma  obra de um célebre pintor romântico.
 
Pinto Soares

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Passeio com Guia pela Tapada das Necessidades Sábado 4 Agosto às 15h

Em 2012, as visitas guiadas à Tapada das Necessidades decorrem todos os primeiros sábados de cada mês.

Após as visitas ocorridas entre os meses de Abril a Julho, ainda vão ser realizadas, amanhã 4 de Agosto, e depois em 1 de Setembro e 6 de Outubro, novas caminhadas, que brindarão o visitante interessado, com uma panóplia de conhecimentos da história, do património construído e ambiental deste espaço verde, que é uma referência nas cidade.
Se pretender fruir a Tapada das Necessidades, basta-lhe - e sem qualquer pagamento, num dos primeiros sábados de cada mês mencionados, pelas 15h, concentrar-se na portaria sul da Tapada, Largo das Necessidades.Amanhã, portanto, tem uma nova possibilidade de conhecer este espaço.
 
Carlos Bolacha, animador destes percursos, apresenta assim os aliciantes destas visitas, para os visitantes:
"Passeio pela antiga cerca do Convento das Necessidades num percurso pela história e botânica local.
Um dos mais belos e diversificados jardins de Lisboa, talvez o menos conhecido da maioria dos seus habitantes, albergando espécies vegetais diversificadas e encerrando em si anos de história que transformaram aquela que ainda hoje será uma das maiores cercas conventuais de Lisboa num jardim pleno de surpresas.
Visita grátis sem inscrição prévia."

Estes passeios têm o patrocínio do GATN e da Junta de Freguesia dos Prazeres.

Excelente e refrescante visita a todos!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

RELACIONAMENTO DA CONDESSA DE EDLA COM A TAPADA DAS NECESSIDADES, SINTRA E A FREGUESIA DOS PRAZERES

Elise Friederike  Hensler,  nasceu na Suíça em La Chaus-de-Fonds, Neuchâtel, em 22  de Maio de 1836 e faleceu em Lisboa, na Freguesia do Coração de Jesus, em 21 de Maio de 1929, tendo recebido na morte o tratamento e as honras de uma figura de Estado; a rainha D. Amélia e o deposto rei D. Manuel II mandaram o visconde de Asseca como seu  representante  ao funeral.

Percurso de vida

Aos doze anos, emigrou com a família para Boston, nos Estados Unidos, onde  recebeu uma cuidadosa educação. Amante das artes e das letras, terminou os seus  estudos  em  Paris. Ao longo  dos anos tornou-se fluente em sete idiomas. Além de cantora  e actriz,  Hensler era escultora, ceramista, pintora, arquitecta e floricultora.

Após o término da sua educação, Hensler actuou no Teatro alla Scalla, em Milão, Itália. No dia de Natal de 1855, em Paris, aos dezanove anos, deu à luz uma menina, batizada Alice Hensler, cujo pai era desconhecido, sendo provavelmente um conde de Milão, do qual esteve noiva.

No dia 2  de Fevereiro de 1860, Elise chegou a Portugal como membro da Companhia de Ópera de Laneuville para cantar noTeatro Nacional de São João, no Porto. Actuou  em seguida no São Carlos, em Lisboa, no dia 15 de Abril de 1860, interpretando o pagem Óscar da ópera “Um Baile de Máscaras”, de Verdi. D. Fernando II, presente à  sessão, apaixonou-se pela bela cantora, então com vinte e quatro anos.


Elise Hensler e D. Fernando II, rei  de Portugal

Em 10 de Junho de 1869, desposou  Fernando II,  em Benfica, na capela do palácio de S. Domingos. Recebeu o título de condessa de Edla dias antes da cerimónia, concedido por Ernesto II, Duque de Saxe-Coburgo-Gota. Foi  a segunda esposa de Fernando II  de Portugal, viúvo de D. Maria II. Mulher culta, dedicou-se com  o marido ao apoio de vários artistas, entre eles o mestre Columbano Bordalo Pinheiro e o pianista Viana da Mota.
 
Vida com D. Fernando II

O casal gostava de se refugiar em Sintra, onde D. Fernando tinha comprado o abandonado Mosteiro de Nossa Senhora da Pena e iniciou sobre os 80 hectares adquiridos, com a cumplicidade da condessa de Edla, a construção de uma das obras  mais marcantes do romantismo em Portugal. As plantações do Parque da Pena intensificaram-se por  volta  de 1869, tendo Elise procedido à introdução de espécies arbóreas naturais da América do Norte.

Também em Lisboa, a grande paixão do rei pela botânica e os largos conhecimentos   que tinha sobre esta ciência, levaram a  que, tendo chamado o jardineiro francês Jean Baptiste Bonard (1841), tivesse levado a cabo um trabalho que transformou radicalmente o aspecto dos 10 hectares da Tapada das Necessidades.

A importação de plantas destinadas aos jardins das  Necessidades e da Pena é  talvez  a  parte  mais  bem documentada da contribuição do rei para o incremento da arte de construir jardins.

É de salientar, no entanto, que D. Fernando escolhe para a Pena  uma vegetação   menos exuberante que   para   as Necessidades,  na  qual as  palmeiras  são   a  grande  novidade. Para  Sintra são as camélias, os  redodendros  e  as  grandes árvores  resinosas  de origem americana ou asiática,

Na zona ocidental   do Parque  da Pena, em 1864, a condessa iniciou a construção de um chalé, o qual ela mesma  projectou  em estilo dos chalés alpinos, localizado face ao Palácio da Pena, mantendo com este uma importante relação visual. Em 1999, o chalé  da condessa de Edla foi  consumido por  um incêndio, estando neste momento aberto ao público depois de um processo de restauro.

Morte

Em 1885, D. Fernando faleceu e, em seu testamento, deixou à  sua viúva todos os seus bens, incluindo o Castelo dos Mouros  e o Palácio  da Pena, ambos em  Sintra. Foi D. Carlos I que, pagando 410 contos à condessa, conseguiu  recuperar  os dois castelos.

Elise  Hensler, depois disso abandonou Sintra e passou a viver com sua filha Alice, que se casou com Manuel de Azevedo Gomes. Faleceu na freguesia do Coração de Jesus, em  Lisboa, aos noventa e dois anos.

O seu jazigo encontra-se no cemitério dos Prazeres, em Lisboa, e recria o cenário verde da Serra de Sintra, que ela tanto  amava. Este jazigo, localizado na rua 2A com o n.º 6399, é da autoria de Raúl Lino sendo composto pela sobreposição de blocos irregulares de granito provenientes da serra de Sintra, assentes numa base quadrada de calcário, envolta em densa vegetação e encimados por uma réplica da Cruz Alta que se  encontra no sítio mais alto do Parque da Pena, em Sintra.



Túmulo de Elise Hensler, condessa de Edla no cemitério dos Prazeres.


Bibliografia
Teresa Rebelo, Condessa de Edla : a cantora de ópera quasi rainha de Portugal e de Espanha.
Lisboa: Alêtheia Editores, 2006 (ISBN 989-622-031-X).

Pinto Soares

sexta-feira, 13 de julho de 2012

TRECHOS DA TAPADA DAS NECESSIDADES



Quem no passado dia 7 de Julho  integrou o grupo  que visitou a  Tapada   das   Necessidades, pôde maravilhar-se com a Natureza exuberante que os envolveu. As   fotografias  que   apresentamos atestam bem a maravilha a que nos referimos:

Dragoeiros em flor.

Uma oportunidade única   de apreciar   os   Dragoeiros na sua máxima floração.

 Agaves ou Piteiras em flor.

Plantas nativas do México onde os aborígenes usam as suas longas espigas florais para fabricar instrumentos musicais.


Buganvília em flor.



A Buganvília é uma  planta trepadeira robusta e lenhosa armada com espinhos. Planta  sub-tropical com folhas  ovais   e escassas com  pouco interesse   mas  que   em   contrapartida, apresentam brácteas (folhas modificadas) muito   decorativas   que   parecem de papel, rodeando as flores,   pequenas   e   de   cor creme. Estas brácteas coloridas aparecem, em geral, na Primavera e Verão.

Pinto Soares

 

Pós Graduação em Jardins e Paisagem

CANDIDATURAS 28 MAIO a 20 JULHO 2012

Face à adesão e resultados de excelência obtidos na Pós-Graduação em JARDINS e PAISAGEM, a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas continua a apostar nesta nova área de estudo com a abertura da Pós-Graduação pelo segundo ano consecutivo no próximo ano lectivo - 2012/2013.

A Pós-Graduação em Jardins e Paisagem, através de uma abordagem multidisciplinar da História da Arte, Geografia, Arquitetura Paisagista, Antropologia e História, proporciona uma formação profissionalizante de qualidade, que prepara especialistas e técnicos para trabalhar nos setores que detenham a tutela de jardins históricos e parques naturais. Conclui-se a formação com uma visita de estudo a jardins e parques naturais nacionais ou internacionais.

O curso, com início em Outubro de 2012, compreende um estágio incluído na unidade curricular de Projeto, no qual o aluno desenvolverá um projeto individual em consonância com o local onde está a realizar o estágio.
Para mais informações consulte: http://jardinspaisagem.blogspot.com

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Próximo Passeio na Tapada das Necessidades: Sábado 7 de Julho

Em 2012, as visitas guiadas à Tapada das Necessidades decorrem todos os primeiros sábados de cada mês.



Após as visitas de Abril, Maio e Junho, serão ainda realizadas, em 7 de Julho, 4 de Agosto, 1 de Setembro e 6 de Outubro, outras caminhadas, que proporcionarão ao visitante interessado, conhecimentos da história, do património construído e ambiental deste belo espaço verde.


Se deseja conhecer a Tapada das Necessidades, poderá, gratuitamente, em qualquer desses primeiros sábados de cada mês, pelas 15h, concentrar-se na portaria sul da Tapada, Largo das Necessidades.

Segundo o animador destes percursos, Carlos Bolacha, estas visitas têm os seguintes aliciantes, para os visitantes:
"Passeio pela antiga cerca do Convento das Necessidades num percurso pela história e botânica local.
Um dos mais belos e diversificados jardins de Lisboa, talvez o menos conhecido da maioria dos seus habitantes, albergando espécies vegetais diversificadas e encerrando em si anos de história que transformaram aquela que ainda hoje será uma das maiores cercas conventuais de Lisboa num jardim pleno de surpresas.
Visita grátis sem inscrição prévia."

Estes passeios têm o patrocínio do GATN e da Junta de Freguesia dos Prazeres.

Boa visita a todos!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Dia Mundial da Criança na Tapada das Necessidades

 
Na passada Sexta-feira, dia um de Junho, a Tapada das Necessidades encheu-se com a alegria das
crianças das escolas da Freguesia dos Prazeres que quiseram comemorar o seu  Dia Mundial.
O GATN esteve presente, respondendo ao amável convite da Junta de Freguesia dos Prazeres e
manifesta publicamente o seu agradecimento a todos aqueles que com o seu trabalho tornaram
possível este evento para as nossas crianças, com uma organização perfeita.
Bem Hajam!
 
Pinto Soares

LUTA CONTRA O ESCARAVELHO VERMELHO DAS PALMEIRAS

                          
 
Os diversos alarmes e pedidos feitos pelo GATN às entidades competentes para que fossem tomadas medidas
de salvaguarda sobre as palmeiras da Freguesia dos Prazeres, parece começarem a surtir efeito.
Nas fotos podem ver-se as “mangueiras” que servem para a condução do produto contra o Escaravelho que é
injectado até à copa das árvores.
Tal artefacto está instalado nas três Palmeiras-das-Canárias existentes naquele jardim.
 
Pinto Soares

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sábado 2 de Junho: Terceiro Passeio do Ano na Tapada das Necessidades


Durante as estações mais convidativas para passeios, tal como sucedeu em temporadas anteriores, as visitas guiadas à Tapada das Necessidades continuam a motivar os que gostam deste espaço.

Este ano as visitas decorrem todos os primeiros sábados de cada mês.

Após as visitas de Abril e Maio, ocorrerão ainda a 2 de Junho e em 7 de Julho, 4 de Agosto, 1 de Setembro e 6 de Outubro, mais hipóteses do visitante interessado ficar a saber mais da história e património construído e ambiental deste belo território. 
Se deseja conhecer a Tapada das Necessidades, poderá, gratuitamente, em qualquer desses primeiros sábados de cada mês, pelas 15h, concentrar-se na portaria sul da Tapada, Largo das Necessidades.

O animador destes percursos, Carlos Bolacha, propõe os seguintes aliciantes aos visitantes:
"Passeio pela antiga cerca do Convento das Necessidades num percurso pela história e botânica local.
Um dos mais belos e diversificados jardins de Lisboa, talvez o menos conhecido da maioria dos seus habitantes, albergando espécies vegetais diversificadas e encerrando em si anos de história que transformaram aquela que ainda hoje será uma das maiores cercas conventuais de Lisboa num jardim pleno de surpresas.
Visita grátis sem inscrição prévia."

Estas visitas têm o patrocínio do GATN e da Junta de Freguesia dos Prazeres.

Boa visita a todos!

terça-feira, 29 de maio de 2012

Horta Pedagógica na Escola Fernanda de Castro

A manutenção da Horta Pedagógica da Escola Fernanda de Castro, na Tapada das Necessidades, foi defendida no passado dia 24 pelos dois Deputados Municipais eleitos pela sua Escola para o efeito.
 
 Os Deputados Municipais que defenderam a sua Horta Pedagógica
 
 
Solicitaram à Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Simonetta Luz Afonso, um jardineiro e um subsídio para poderem manter e desenvolver aquele projecto pioneiro.
 
Horta Pedagógica da Escola Fernanda de Castro na Tapada das Necessidades
 
 
Cabe também ao GATN apoiar tal iniciativa e não a deixar morrer, nomeadamente agora que se aproxima o Verão e com ele o fim das actividades escolares permanentes.

domingo, 13 de maio de 2012

Perda de um Património Cultural: As Palmeiras dos Torna-Viagem e o Escaravelho Fatal

Quem efectuar um passeio, do Largo da Anunciada até à colina da Pena/Torel, depara-se, à saída do elevador do Lavra, com esta visão triste e desoladora: uma palmeira agoniza.
Por todo o sul (em Faro, várias palmeiras centenárias e na avenida da Praia da Rocha, cento e oitenta exemplares; em Sesimbra, etc.) o escaravelho das palmeiras (oriundo da Indonésia), tem atacado muitas das árvores desta espécie.
Na Avenida Infante Santo, há uma palmeira ainda jovem, infectada.
A contaminação, com as condições climatéricas adversas desta estranha Primavera, favoreceu a voracidade do insecto destruidor, que escava túneis, para deixar ovos, minando estas árvores ornamentais, que integram o património ambiental e cultural, desde há muito.
Se nos lembrarmos dos emigrantes do século XIX, que trouxeram das longes paragens por onde andaram, as palmeiras, verdadeiro emblema dessas viagens, poema vivo essas idas e retornos, concluiremos que também a este nível caminhamos para o empobrecimento.
Actualmente, estamos em risco de as perdermos, se passadas semanas, meses, continuarem agonizantes, na paisagem, permitindo a reprodução da praga. 
Exemplares mortos têm de ser queimados, para eliminar o parasita exterminador.

A ignorância acerca deste assunto, bem como a falta de medidas de salvaguarda eficientes, de que estes testemunhos são a prova da incúria, merecem uma campanha esclarecedora e uma actuação, que vá além das boas intenções, que dessas sabemos como o Inferno está repleto...
GATN/LFM