domingo, 26 de fevereiro de 2012

Banditismo e Abandalhamento








O banditismo que acontece num espaço histórico, num património da Comunidade, como é o caso da Tapada das Necessidades, relativamente ao qual temos dado notícia, alastra em tempo de crise, com o Estado a cortar na segurança, no policiamento, perdendo-se a garantia que aqueles 10 hectares, que nos foram legados pelos nossos antepassados, se mantenha, sem degradação.
A destruição manifesta-se em diversos níveis: vidros da estufa circular espatifados, floreiras derrubadas e partidas, rivalizando com a degradação dos caminhos, que voltam a evidenciar buracos, de diâmetro variável.
Num lago verifica-se um estaleiro de obras, mas nem isso dissuadiu os vândalos: há por ali várias floreiras tombadas....
Entretanto, um pai bateu num trabalhador que lhe terá chamado a atenção sobre a interdição de uso de bicicleta, dada a permanência de muita criançada, não vá acontecer algum atropelamento.
Muitos dos que se ficam pela fruição do relvado, pouco depois da entrada, nem se apercebem do que se passa mais à frente, mas a verdade é que o abandalhamento é visível a quem esteja atento e é triste constatar que a Câmara Municipal de Lisboa /Ambiente e Espaços Verdes se tenha ocupado nos últimos meses a congeminar um restaurante para ali, deixando por resolver uma vez mais a segurança, o portão norte a descoberto, permitindo um vandalismo que poderá depois justificar condicionamentos futuros.
Que Fado, o nosso, com a falta de civismo de uns e a esperteza de outros, prejudicando ambos a Comunidade...
Quando nos livraremos de tanta maldade?
FAV (texto e fotos)

4 comentários:

peekan disse...

Não compreendo porque motivo se proibe a utilização da bicicleta! Nos dias de hoje, o exercício físico associado aos basseios de bicicleta são uma optima forma de divulgação deste tipo de espaços PUBLICOS.

Quase ninguem vai de carro até à tapada para depois andar lá dentro a pé. A bicicleta é uma forma conveniente de conhecer o espaço.


Se é perigoso para as crianças?
Isso agora é uma questão de respeito! Quem anda de bicicleta tem de ter respeito pelos outros utentes e pelo espaço. Há que haver consciencia que a Tapada é um espaço para passear e não para fazer corridas.


Eu quero ir visitar a Tapada, e vou de bicicleta! Mas vou com respeito e com cuidado, e vou dizer a todos os meus amigos que há um espaço espectacular em Lisboa, peguem nas bicicletas e vão lá visitar.


É assustadora a discriminação ignorante que existe em relação às bicicletas. Acordem para a vida, a bicicleta é uma forma saudável de praticar exercício, conhecer a cidade, e ter qualidade de vida. Invejosos!

Anónimo disse...

Ninguém é dono da verdade e o que você tem na sua cabeça iluminada não é o mesmo que os outros pensam.
Na Rua Prior do Crato várias pessoas foram maltratadas por um louco que passa de bicicleta sem ter respeito por ninguém, oferecendo tareia a quem protesta. Imaginemos se esse louco entrasse na Tapada...estou de acordo que não se transforme um sítio que é para andar a pé, numa pista para pessoas que acham que quem não tem dinheiro para voar de bicicleta é invejoso. Admiro a sua cultura democrática!E acho o máximo a sua cruzada veciclopédica!
Adolfo Merkel

Anónimo disse...

Nao se anda de bicicleta porque o desnível da tapada nao oferece segurança. Além do mais, o piso degradar-se-ia rapidamente se fosse permitida a circulacao de bicicletas. Compreendo a sua frustração mas este jardim deve ser fruído a pé. Experimente. Vai gostar.

FR disse...

Meu Deus, a ignorância que vejo ao ler nestes comentárias é tanta que me custa a crer que estamos em pleno ano de 2012.

Proibir o uso de bicicletas devido aos actos tresloucados de UMA pessoa faz tanto sentido quanto proibir o uso de automóveis nas cidades por causa de um atropelamento de uma pessoa numa passadeira.
Eu se for a correr para a Tapada com uma venda nos olhos e atropelar alguém, será que sou apenas estúpido e incivilizado, ou será que a CML deverá proibir o totalmente o uso do jardim devido a maníacos como eu?? Por favor...

E dizer que o uso de bicicletas deteriora o pavimento, faz-me rir. Tanta ignorância. Além disso, o piso da Tapada é exemplar neste momento (para os mais "tapados", estou a usar a ironia). Falta de segurança é querer ir correr na Tapada, com aquele piso é meio caminho andado (ou corrido) para uma entorse.

Outra coisa que faz rir é o horário estúpido da Tapada, completamente incompatível com a maior parte das pessoas com vida activa.

Talvez se houvessem menos proibições, a Tapada não estivesse tão vandalizada como está. Sigam o exemplo de outros parques.
Provavelmente, quando a Tapada já não oferecer nada que valha a pena proteger, a decidam partilhar com um maior nº de pessoas...