quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Sinais de Mudança

AMIGOS, É ALTURA DE VIRAR MAIS UMA PÁGINA DO CALENDÁRIO.
O ANO QUE AGORA TERMINA NÃO FOI MUITO BOM PARA OS PORTUGUESES NEM PARA A TAPADA DAS NECESSIDADES SUJEITA A UMA ONDA DE VANDALISMO SEM PRECEDENTES.
CONTUDO, NÃO ESMORECEREMOS NA NOSSA LUTA. HÁ SINAIS DE MUDANÇA, AS OBRAS DE RECUPERAÇÃO DA ESTUFA CIRCULAR COMEÇARAM!
O GATN DESEJA A TODOS UM BOM NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO

João Pinto Soares

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A Beleza do Exemplar de Ginkgo Biloka do Jardim Olavo Bilac


Todos os anos, em Novembro, esta imagem  repete-se. Antes que as folhas se despeçam até ao novo ano, tomam uma coloração muito bela, como a imagem documenta,  podendo ver-se muitas folhas já  caídas atapetando o chão.


Consideramos o Jardim Olavo Bilac como   uma extensão da Tapada  das Necessidades.  De facto, ele foi construído   na Praça do Obelisco, que por sua vez faz parte integrante da Obra das Necessidades, da autoria do nosso Rei D. João V.

Este jardim, que recebeu o nome de um escritor e político brasileiro contemporâneo da nossa Rainha D.ª Amélia - Olavo Bilac - que com ele  se correspondeu, para  além de uma vista soberba sobre uma zona antiga da cidade de Lisboa – A zona de Alcântara (A Ponte) -  e para  o Rio Tejo, possui um conjunto notável de árvores, entre   as quais o exemplar   de Ginkgo biloba aqui representado.

A Ginkgo biloba como exemplar botânico

Segundo alguns botânicos é a espécie viva geneticamente mais antiga,considerada um fóssil vivo. Existem registos fósseis de folhas de ginkgo datadas de há 150 milhões de anos, o que as remete para o tempo dos dinossauros (Período Jurássico).  Chegou a ser  considerada uma espécie rara, dadas as reduzidas populações naturais existentes apenas na China, país de onde é originária. Hoje,  encontra-se   espalhada  por todo o Mundo, constituindo  árvore de alinhamento em muitas ruas das nossas cidades. São árvores que podem atingir os 30 metros de altura. Apresentam umas folhas muito particulares em forma de leque com um rasgo ao meio, donde o nome da espécie biloba, que se pintam de  de um amarelo intenso no Outono, principalmente no mês de Novembro, antes de caírem. De muito fácil cultivo, pouco sujeitas a   pragas e doenças e muito resistentes à poluição das cidades, tornaram-se  boas árvores de arruamento. O fruto tem um odor  muito desagradável, mas como é uma  espécie dióica, apenas as árvores femininas dão fruto, tornando os pés masculinos mais apetecidos para fins ornamentais. Muito utilizada na medicina alternativa pelas suas  propriedades regenerativas, despertou o interesse dos investigadores após a Segunda Guerra Mundial, por ter sobrevivido à explosão atómica em Hiroxima, brotando no solo da cidade  devastada. Tornou-se, assim,  um símbolo da Paz e Longevidade .
.                         
                          Pinto Soares