domingo, 23 de março de 2014

COMEMORAÇÃO DO DIA MUNDIAL DA ÁRVORE, DA FLORESTA E DA POESIA

Comemorou-se no passado dia 21 de Março na Escola Fernanda de castro, na Tapada das Necessidades, o Dia Mundial da Árvore e da Poesia, com a presença e colaboração dos alunos da Escola Fernanda de Castro e do Centro Social e Paroquial S. Francisco de Paula.
As atividades tiveram início às 9,00 H com  Animação e Leitura por Nádia Nogueira, de uma adaptação da história “Tempo vai, tempo vem” de Maria Alberta Meneses.
Seguiu-se a leitura de Poemas pelos alunos das turmas do 1º/2º e 3º/4º Anos da Escola Fernanda de Castro e a troca de folhas e flores entre os alunos do Jardim-de-infância da Escola Fernanda de Castro e do Centro Social e Paroquial S. Francisco de Paula.
Às 10,00 tivemos a plantação de uma Laranjeira e um Limoeiro, no espaço da horta da Escola Fernanda de Castro, com a colaboração da Associação Lisboa Verde e do Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades.
Finalmente, com início às 11,00 H, tiveram lugar jogos e Atividades promovidos pela Câmara Municipal de Lisboa nas imediações da Escola Fernanda de Castro, na Tapada das Necessidades, ao que se seguiu a distribuição de material pedagógico pelos alunos, cedido pela Câmara Municipal de Lisboa e pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. 
João Pinto Soares

segunda-feira, 10 de março de 2014

Intervenção do GATN na Reunião Descentralizada da CML

Intervenção do GATN na reunião Descentralizada da CML, realizada no passado dia 5 de Março, na qual nos foi garantida pelo Sr. Vereador dos Espaços Verdes, José Sá Fernandes uma reunião conjunta com o Sr. Presidente da Junta de Freguesia da Estrela para debater assuntos relacionados com o futuro da Tapada das Necessidades.
 
 
         O  Grupo dos Amigos da Tapada  das  Necessidades (GATN), aproveita    uma vez  mais a  oportunidade que as Reuniões  Descentralizadas da Câmara Municipal  de Lisboa proporcionam, para   reiterar   a   sua posição quanto ao futuro próximo  deste Espaço  de importância vital para a cidade de Lisboa.

        Presentemente, sentimos a Tapada dividida em duas partes distintas: A parte Sul, mais vivenciada, protegida por uma portaria permanentemente  ocupada, uma vigilância constante exercida por pessoal da CML, a presença  de  um jardineiro a tempo inteiro e   uma Escola a funcionar sem problemas. Por outro lado temos   a parte Norte, onde  se concentram a maior parte  dos problemas, resultantes   da ausência de uma   portaria com   guarda permanente, o que facilita  a   intrusão   de indivíduos  sem  carácter que  desencadeiam  atos de  vandalismo  sobre  pessoas e bens. Estes atos são encorajados pela existência dos  edifícios  devolutos deixados pela Estação Florestal Nacional quando  em 1998 abandonou a Tapada para se instalar em Oeiras.

         Julgamos ser fundamental para um desenvolvimento harmónico   e seguro da Tapada, a ocupação permanente das construções devolutas, a demolição dos barracões e anexos   sem serventia ou possibilidade de recuperação e a criação   de uma portaria com   guarda  permanente na entrada Norte (Rua do Borja),tendo sempre em vista que o aproveitamento do   espaço   da Tapada  deve ser  prioritariamente  para  atividades lúdicas e culturais com   fins sociais, e deve ter ainda em conta   as características específicas   que  tornam a Tapada das Necessidades  diferente  das   outras áreas verdes da cidade de Lisboa.
         
         Embora desconhecendo qual o plano da CML  para o futuro da Tapada das Necessidades, o  GATN vem apresentar  um conjunto de sugestões para a ocupação  dos  diferentes edifícios que se encontram devolutos e à mercê de atos de vandalismo naquele espaço.


Assim:

                    - Moinho de Vento.
       
Para  o  moinho de vento  e  edificação anexa, dada a sua localização perto   da   entrada Norte, o  que   limita a circulação de veículos necessários   ao apoio  logístico, propomos a instalação de   Uma cafetaria   de   apoio aos visitantes da Tapada, com    uma   esplanada, instalações   sanitárias  públicas incluindo fraldário,   mantendo   as  características do edificado como moinho de vento.

        - Horta pedagógica.

Lembramos, uma vez  mais a Vexas. o nosso  projeto para a criação de uma horta pedagógica no  topo Norte  da Tapada   das   Necessidades, utilizando a título precário  algumas   das construções deixadas pela Estação  Florestal Nacional e  um terreno  de cultura adjacente também já   em tempos utilizado por funcionários  daquele organismo. Esta ideia foi transcrita para um projeto de protocolo    enviado ao Sr. Vereador José Sá Fernandes em 3 de Junho de 2009.

        - Edifícios encostados ao   muro do topo Norte da Tapada, onde funcionaram a biblioteca e   laboratórios da Estação Florestal Nacional e para a ocupação dos quais já foi   aberto   um   concurso   em 2012  para instalação e funcionamento de um Espaço Cultural Integrado.

Propomos a instalação de uma Creche e/ou Espaços Culturais.


         - Edifício   isolado no topo Norte da Tapada das Necessidades, onde   funcionou   um   dos Laboratórios da Estação Florestal Nacional.

Propomos a instalação de uma biblioteca e de um centro de interpretação da Tapada das Necessidades   e silvicultura  urbana, dando cumprimento ao estipulado no protocolo   de transferência   de   gestão   da Tapada das  Necessidades assinado em 23 de Outubro de 2008, entre  o Ministério da Agricultura do Desenvolvimento Rural   e  das  Pescas e a Câmara Municipal de Lisboa – Garantir  que um dos espaços integrantes   do edificado que lhe é cedido pelo presente Protocolo é dedicado à Prestação   de informações   sobre assuntos relacionados com a agricultura.


       - Circuito de Manutenção.

Procurando dinamizar o topo Norte  da Tapada   e torna-lo mais frequentado e seguro, propomos criar   e manter   um “circuito de Manutenção” com   a   instalação de diversos aparelhos   de    ginástica    ao longo   de um  percurso        pré-determinado.

        - Casinhas Encantadas.

Projeto de carácter social com   ateliers para crianças e adultos   a   desenvolver   no   espaço  do antigo Jardim Zoológico utilizando   as   instalações     existentes, conforme   projeto   enviado   ao   Sr. Vereador  José Sá Fernandes em 16 de Janeiro de 2009.

        - Casa   de    função   do    Guarda Florestal e Envidraçado anexo.

Propomos a criação de um Centro  de Dia   para  idosos e Posto de Enfermagem.

    
Pensamos desta forma contribuir para um futuro equilibrado  da  Tapada das Necessidades, oferecendo desde já a nossa colaboração ativa para tornar realidade as melhores soluções que forem encontradas.

Terminamos congratulando-nos pelo meritório trabalho  de  recuperação do património artístico e monumental da Tapada que tem   vindo a ser   desenvolvido pela Câmara Municipal de Lisboa, com realce para a Estufa Circular e a Casa do Fresco, mas também para os lagos, pequenos recantos e peças ornamentaisque embora mais modestos não são de somenos importância e que demonstra uma forte dedicação  à causa da Tapada mesmo perante uma situação económica adversa. Devemos assinalar também a instalação de sanitários públicos, anseio por nós manifestado por diversas vezes.

        Por último, queremos aproveitar esta oportunidade para solicitar ao Sr. Vereador José Sá Fernandes uma reunião onde possamos em conjunto trocar impressões sobre estes e outros assuntos de importância para o futuro da Tapada das Necessidades.



       Gratos pela vossa atenção.


       
                         Lisboa, 5 de Março de 2014